Com o objetivo de apresentar as diretrizes para a atuação da Defesa Civil e a Assistência Social, em âmbito municipal e a fim de garantir a proteção social devida à população mais vulnerável, a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese) participou da live “Diretrizes às Compdec e a Assistência Social para o enfrentamento do frio intenso em Minas Gerais”.

O evento, realizado em parceria com o Gabinete Militar do Governador, por meio da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, com o apoio da Associação Mineira de Municípios (AMM), integrou as Coordenadorias de Proteção e Defesa Civil (Compdec) e a Assistência Social com o intuito de orientar as gestões municipais para apoio à população durante a onda de frio que atinge o Estado essa semana.

A diretora de Proteção Social de Alta Complexidade da Sedese, Tatiane Patrícia, falou sobre o papel da assistência social nas ações de emergências e calamidade pública, especificamente para o enfrentamento do frio intenso. “Já estamos em um momento emergencial, então é necessário darmos respostas rápidas e assertivas no atendimento e proteção a população vulnerável, em especial a população em situação de rua”, destacou

Tatiane Patrícia abordou ainda aspectos importantes na preparação e execução das ações, como a criação de um planejamento estratégico anterior às ocorrências que contenham ações pré-emergência, emergenciais e pós-emergência para a recuperação e normalização do estado de normalidade no município.

Durante o evento, também foram levantadas outras ações importantes, como o acompanhamento diário dos boletins meteorológicos, manutenção de equipes para atendimento emergencial em articulação com a Defesa Civil e realização de mapeamento dos territórios mais vulneráveis, bem como, o apoio a gestão municipal, na identificação de possíveis locais para instalação de abrigos emergenciais, e apoio à Defesa Civil, no trabalho junto às famílias em locais de risco.

“Nenhum órgão atua isoladamente, se formos atuar dessa forma, não vamos conseguir atender o nosso objetivo que é ofertar a Proteção Integral à população. As ações devem ser integradas, complementares e articuladas. Não é somente uma política pública que vai dar conta de todo o contexto que se apresenta”, conclui Tatiane.

A concessão de benefícios eventuais nessas situações também foi mencionada e podem ser ofertados à população vulnerável cobertores, agasalhos, alojamentos provisórios, alimentação, transporte para os abrigos, kits de higiene e prevenção ao Covid-19, itens de higiene pessoal, material de limpeza, entre outros.

A live pode ser assistida na íntegra aqui.


0 comentário

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.